beleza

V’ambora, tocar esse barco?

 

Não sei se acontecia o mesmo com vocês, mas por muitos e muitos anos, na escola, toda volta às aulas era a mesma coisa: primeiro dia e lá vinha a redação “Minhas Férias”.

O tempo de usar uniforme ficou pra trás, mas o hábito de recapitular o passado recente de descanso a gente carrega pra vida, né? A bem da verdade eu nem estava de “férias” de verdade, estava mais “me recuperando” (hahahahaha sei que já falei que essa é outra história e que vou contar depois, e é isso mesmo, vou contar depois, porque é longa – e vocês vão querer detalhes, sei disso rsrs). O que não quer dizer que eu não tenha aproveitado, e bem, esse tempo offline. Apesar de não poder ficar saracoteando muito por aí, foi muito bom curtir dias completamente fora da rotina. Tive visitas, muita comidaria, saidinhas por perto e, na semana passada, finalmente, um pulinho na praia, porque não sou de ferro…

Enquanto isso vocês viram que o Pop deu uma repaginada de leve no visual? Arejar é preciso, vale pra vida e vale pro layout; espero que vocês gostem. Sei que está cada dia mais difícil trazer as pessoas para posts com texto, parece que a facilidade dos vídeos (só clicar e ouvir) conquistou uma multidão de adeptos, mas eu jamais poderia, por amor e por ofício, considerar perdida a batalha pela palavra escrita. Desanimei muito ao perceber que uma parcela bem grande do público já não lê um texto até o final. Pior, não lê nada, quando muito olha as imagens. Mas é uma questão de fazer o que a gente acredita e vou continuar escrevendo. Eventualmente, alguém vai ler. Aliás, se você chegou até essa linha, tome aí um beijo agradecido!

Sobre vídeos, tô querendo muito fazer, ando me preparando pra isso. Qualquer dia desses pinta uma novidade por aí e a gente vê no que vai dar. Não vou mentir pra vocês, ando bem enjoada de tanta coisa igual (não só nos vídeos, muito além deles). Os mesmos assuntos, os mesmos ângulos abordados, fórmulas, formatos, ai, que preguiça! Entendo que uma das receitas do sucesso é fornecer exatamente o que o povo quer consumir, mas já tem bastante gente fazendo isso, né? Também não tenho pretensão nenhuma de reinventar a roda, só quero voltar a escrever com gosto, a ficar satisfeita. Vocês viram, desisti até de deixar resenhas programadas, porque falar por falar… não é isso que quero fazer. Acredito que nossa paixão por Beleza merece um pouco mais de carinho da minha parte do que postar em piloto automático.

Por que falar é fácil e fazer é tão difícil? Simples: quando a gente não aceita seguir a maré, é deixado de lado. Se você não frequenta, se você não socializa, se expõe e expõe marcas freneticamente, o tempo todo, deixa de ser interessante. E não é só do mercado comercial que estou falando, é também de uma grande parte do público. Sabem aquela velha história, o ter x ser? Nada mudou, tudo continua o mesmo, só que potencializado. Estamos vivendo esse momento esquisito de celebração da imagem – e da posse, ainda que ilusória. Estranhamente é cada dia mais difícil encontrar quem busque identificação, as pessoas querem “inspiração”. Não querem alguém do seu lado, buscam quem se coloca acima, em posição superior. Eu não entendo isso, então deixo pra lá. Cresci cortando roupas prontas pra costurar tudo de novo depois e criar “meus próprios modelos”. Fazia colagens tenebrosas pra construir capas exclusivas de cadernos. Jamais vou entender a vontade de ser igual a outra pessoa. Não compartilho desse desejo, mas acredito que cabe a cada um ser feliz do seu jeito, e com isso concordo, sem dúvida.

Por isso, tamos aí, pessoal! Tava louca pra voltar; que esse ano traga um Pop Topic livre de gesso, com mais liberdade, diversidade e criatividade pra mim e uma experiência de leitura prazerosa e divertida pra vocês.

Um beijo!

Vivi

13 comentários

  1. Li até o final. Quero 2 beijos 😀
    Bom, você sabe o quanto concordo com o texto <3

    Vivi respondeu:

    @Juliana Vilela,

    <3

  2. Gabi disse:

    Acompanho seus textos há bastante tempo e sempre gostei da abordagem mais pessoal. Fico feliz que você queira se manter fiel ao que é, to sentindo falta disso na internet. Li até o final e espero ler muito mais. Parabéns!

    Vivi respondeu:

    @Gabi,
    Obrigada, Gabi! :*

  3. Claudia Morato disse:

    Eu li. Sempre li. Bjs

    Vivi respondeu:

    @Claudia Morato,
    Verdade, e eu agradeço muito pela companhia 🙂

  4. Cassiano Silva disse:

    Eu não curto essa moda de vídeo. Acho que vídeos com "cola" no cantinho da tela ou sobre a mesa, não são naturais.
    Eu ainda acredito que um bom texto é capaz de fazer viajar. Por isso o e-book não deu certo como se esperava e as pessoas ainda são fãs dos bons livros impressos, de capa dura e arte bacana.
    O problema é que dá trabalho isso tudo, não existe um retorno digno e ainda somos, muitas vezes, obrigados a nos ajustar a padrões comerciais.
    E você sabe do que estou falando!

    Vivi respondeu:

    @Cassiano Silva,

    Amo ler, Cassiano, e juro que tentei me adequar ao formato digital, até pela praticidade e questão de espaço, mas não consigo, me cansa ficar o tempo todo em frente a algum tipo de tela, não é relaxante…
    Pois é, as coisas mudam e nem sempre pra melhor. Muito frustrante, isso.

  5. Vivi, sou dessas que leio tudo. E tenho visto mesmo que a moda agora é não ler, basta ver alguns comentários que recebo no blog. Mas como faço o que gosto (aliás, fazemos) insisto (imos).
    Bjos!

    Vivi respondeu:

    @Luciana Vilela,
    As pessoas PEDEM para que a gente não escreva, Lu! Fico meio passada, não entendo.
    Mas insistimos, isso que importa, né? Beijo!

  6. Marilia Alves disse:

    Parabéns, eu particularmente adoro textos e longos sim, adoro ler seus pensamentos. Muitos beijos e é isso aí vamos tocar o barco.

    Vivi respondeu:

    @Marilia Alves,
    Continuamos a remar 😉
    Beijo!

  7. Ju disse:

    Vivi, que bom que estás de volta!
    Eu concordo com cada palavra do que você escreveu… E também não sou de vídeo não, não consigo assistir, não tenho paciência… Fora isso, acho tão chatoooo fazer porque tá na moda, fazer porque tem que fazer, e pior, fazer o que todo mundo tá fazendo. Cansativo isso rsrs
    Mas, enfim, continue escrevendo, muito e sempre, porque seus textos sempre fizeram diferença pra mim, e, com certeza, pra muitas outras pessoas!
    Beijos

Deixe um comentário :D